Dermatite Atópica

Agende sua consulta

(11) 3903.1896

(11) 94374.9888

Categorias

Preencha o formulário

O que é?

A dermatite atópica é uma doença crônica que causa inflamações na pele com fases de melhora e piora. Geralmente acomete pessoas com história pessoal ou familiar de asma, rinite alérgica ou dermatite atópica. Essas 3 doenças são conhecidas como tríade da Atopia (alergia).


Causas


A doença é adquirida por herança genética. A causa exata é desconhecida, mas sabemos que é multifatorial, ou seja, vários fatores se associam para que a pessoa manifeste a doença. A pele seca com deficiência na produção da barreira natural de proteção e um mau funcionamento de sistema de defesa do organismo estão presentes.

A doença não é contagiosa e sua incidência vem aumentando na população principalmente em áreas urbanas onde pode chegar a acometer 20% da população.

 

Sintomas

O eczema atópico, que é o sinônimo da dermatite atópica, se manifesta por lesões inflamadas na pele, avermelhadas e com uma característica principal: a coceira. Geralmente são úmidas no começo, mas com o passar do tempo se tornam ressecadas e descamativas. Por causa da coçadura crônica a pele se engrossa.

Quando o paciente manipula muito as lesões pode levar a contaminação por bactérias e infeccionar a pele.

Existem 2 fases distintas da doença, na criança e no adulto. Na criança, as lesões predominam na face e nas laterais externas das pernas e braços. No adulto, acometem principalmente as áreas de dobras como a dobra do cotovelo, do joelho e o pescoço.

Fatores de Piora

Os fatores que podem desencadear uma crise de dermatite atópica variam entre as pessoas, podendo ser:

  • Pele seca;
  • Poeira (ácaros e fungos/mofo);
  • Produtos de limpeza como detergente;
  • Roupas de lã e de tecidos sintéticos;
  • Baixa umidade do ar;
  • Frio intenso;
  • Calor e transpiração;
  • Infecções (exemplos: gripe, infecção de garganta ou ouvido);
  • Estresse emocional;

Tratamento

A chave para o controle da dermatite atópica é evitar ao máximo os fatores desencadeantes e tratar rapidamente as crises agudas.

As lesões são tratadas com cremes, medicações orais e cabines de fototerapia. O esquema de tratamento varia conforme cada caso e nos quadros mais graves ou resistentes o acompanhamento em conjunto com médico dermatologista e alergista é fundamental.

 

Prevenção

 

  • O banho deve ser rápido (de 5 a 10 minutos) e morno.
  • Evite uso excessivo de sabonetes, dê preferência aos líquidos específicos para alérgicos.
  • Não use esponjas ou buchas no banho.
  • Aplique creme hidratante (branco e sem perfume) pelo menos 2 vezes ao dia, todos os dias.
  • Use roupas leves de algodão.
  • Evite contato com produtos que possam irritar a pele como produtos de limpeza, perfumes, cremes coloridos, cosméticos perfumados.
  • Retire tapetes e cortinas do quarto, também bichos de pelúcia.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Agende sua consulta